O que a área financeira deve fazer para cumprir e conciliar suas responsabilidades com as novas oportunidades que a inovação apresenta?

Se tornar o maior aliado entre os departamentos nesse processo!

Vivemos um momento em que as descobertas mostram oportunidades e desafios para a função hoje. A influência dos profissionais é exigida regularmente de forma impressionante e ampla. A intensidade da concorrência entre as empresas revisa seus modelos de negócios e seus respectivos portfólios, diariamente.
A carga de trabalho com qualidade só aumenta ainda mais, e o foco está mudando, trazendo implicações não só para os empreendedores quanto para os executivos financeiros. A primeira necessidade é possuir uma equipe talentosa, com expertise em banco de dados, digitação, robótica e TI customizados (novas tecnologias). A segunda é o corte dos gastos do curto e longo prazo com atenção analítica no ciclo orçamentário. Essa alocação de recursos e de capital vislumbra serem os tópicos mais importantes nesse horizonte.

 As equipes de finanças precisam usar as ferramentas e os recursos certos para medir e rastrear os sinais (não os “ruídos”) de alertas personalizados, para acompanhar, manter e/ou antecipar a geração de receitas da empresa. A forma como os empreendedores e administradores atuam como parceiros de seus colaboradores e os fornecedores líderes de negócios, é outro conjunto de capacidades que precisa mudar obrigatoriamente. 

A demanda por informações sobre as lacunas (diferença entre o planejado e o realizado) no Orçamento, o nível da liquidez expressa no Fluxo de Caixa e as perspectivas de geração de receitas, por exemplo, estão com suas atualizações muito mais frequentes e aceleradas. Portanto, processos afetados por essa demanda (informação), exigiram digitação e tecnologia na administração da Tesouraria. Rompido esse obstáculo, surge agora o desenvolvimento de processos financeiros voltados para o futuro, como planejamento de Fluxo de Caixa e estudo de cenários para a previsão de demanda de oportunidades de incremento no faturamento da empresa. Chamo a atenção para o atual nível de estoques. Se for o seu caso, direcione seu olhar para analisar a previsão de volume, cenários e riscos.
Outro fator será a priorização e a padronização que serão necessárias, diante desse aumento de tarefas que mencionei acima. Por exemplo: decidir se impulsiona a informatização num determinado departamento ou em toda a empresa. Quais as relações de custos-benefícios? Como gerenciar adequadamente os colaboradores? Como se recruta, treina e retém os talentos digitais? Etc.

Isso posto, concluímos que os administradores precisam se envolver fortemente e imediatamente para definir a arquitetura da empresa para o próximo período fiscal. Estimulo você, responsável pela área financeira, a verificar o quanto está envolvido com a operação das outras áreas do negócio. A habilidade analítica da equipe de finanças e sua capacidade de entendimento dos geradores de valor irão posicionar melhor a empresa no mercado. Fazer perguntas certas é papel dos administradores financeiros nessas conversas com seus pares. Uma postura ideal nesses entrelaçamentos é a clareza sobre as prioridades conjuntas, especialmente na área digital. Ser límpido nas iniciativas que irá liderar e, quanto mais conduzirem o diálogo, melhor poderão gerenciar o que acontecerá depois.
Na medida que a área financeira expande sua presença, torna-se necessário evitar conflitos com essas sobreposições. Pensar de forma significativa sobre a alocação de recursos e a sua respectiva priorização, torna-se interessante no atual momento. O que realmente importa não é quem gerencia o quê, e sim a oportunidade para todos se envolverem e compartilharem perspectivas. Isso é incomensurável para a valorização da empresa.

Recentes pesquisas internacionais mostram que esse novo paradigma traz uma oportunidade para se obter um impacto desproporcional na lucratividade das empresas. O desempenho dos administradores na formação das agendas de inovação é espinhoso e desafiador. Enfrente esse fato promovendo uma cultura de elevado desempenho bem delimitada e translúcida, de forma a garantir o sucesso e a vantagem competitiva. Abrace a inovação com bravura e resiliência, apesar dos contratempos, críticas e incertezas. Forneça segurança aos seus pares e equipe, ajudando-os a encontrarem coragem para arriscar nessa busca da criatividade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.